RAID Thunderbolt – Tudo o que você precisa saber

Tudo o que você precisa saber sobre SSD M.2 – Guia Completo
10 de outubro de 2018
Bota Imobilizadora Longa Walker Actimove
Como escolher a melhor bota imobilizadora ortopédica – 2018
24 de outubro de 2018

RAID Thunderbolt – Tudo o que você precisa saber

armazenamento raid

Quando você pensa em armazenamento externo, provavelmente pensa em discos rígidos externos grandes que utilizam USB e compartilhamentos de rede complicados. Mas com os cabos Thunderbolt 3 sendo capazes de taxas de transferência teóricas de até 40 Gbps, as soluções externas agora oferecem alguns benefícios interessantes sem um gargalo significativo na taxa de transferência. Se você combinar velocidades de transferência extremamente rápidas com os benefícios de um sistema RAID, ficará ainda mais eficiente.

Um grande problema é a disponibilidade desses sistemas no nosso mercado. Existem poucas unidades RAID com Thunderbolt sendo vendidas no Brasil e elas não são baratas. Se você precisa mover grandes quantidades de arquivos de maneira segura ou realiza tarefas muito complexas como edição de vídeos RAW em 4K, utilizar um sistema de armazenamento RAID via Thunderbolt ainda pode valer a pena. Selecionamos duas opções disponíveis para compra mais abaixo e também algumas alternativas mais baratas caso você não possa investir muito dinheiro agora.

raid thunderbolt OWC raid thunderbolt lacie
Case OWC ThunderBay 4 LaCie 2big Thunderbolt
Até 858 MB/s Até 420 MB/s
2 portas Thunderbolt 2 portas Thunderbolt
Cerca de R$ 8.600 Cerca de R$ 4.280

Compre online

Então, vamos dar uma olhada nos gabinetes RAID Thunderbolt e como eles podem sobrecarregar seu armazenamento externo.

O que é o RAID?

RAID é a sigla para Redundant Array of Independent Disks, ou Conjunto Redundante de Discos Independentes em português (embora ele tenha sido chamado originalmente de Redundant Array of Inexpensive Disks). O indício está no nome, mas um sistema RAID (ou “array”, como são conhecidos) envolve o uso de vários discos rígidos em um único sistema de armazenamento.

Existem vários motivos pelos quais você pode querer fazer isso. Os sistemas RAID são projetados para oferecer maior desempenho, maior redundância em caso de perda de dados, melhor disponibilidade de unidades e facilitar a adição de mais armazenamento no futuro. Cada implementação, ou nível, tem um número correspondente.

Esses níveis atingem diferentes equilíbrios entre desempenho, redundância, capacidade e disponibilidade. Dois dos níveis de RAID mais usados são RAID 0 e RAID 1, com variações conhecidas como sistemas RAID “aninhados” ou “híbridos” com base em ambos.

O RAID 0 usa todas as unidades em uma matriz para criar um único volume lógico. Isso permite maior velocidade de gravação, já que o sistema pode gravar dados em ambos os volumes ao mesmo tempo. O RAID usa um sistema conhecido como “striping” para armazenar dados em sequência em volumes separados. A desvantagem é que, se um disco rígido falhar, o array inteiro falhará.

RAID 1 tem um foco maior na redundância. Ele usa um número par de unidades para espelhar todos os dados. Dois discos rígidos de 1 terabyte no RAID 1 proporcionam um volume efetivo de 1 TB. Se uma unidade falhar, todos os seus dados estarão seguros, pois foram espelhados em uma segunda unidade. Isso oferece pouco benefício de velocidade ao usuário em favor da redundância, o que o torna muito mais seguro.

Existem outros níveis, incluindo matrizes RAID aninhadas como RAID 0 + 1. Isso cria dois arrays RAID 0 e os espelha no RAID 1. Você obterá o aumento de velocidade de um sistema RAID 0 de duas unidades e parte da redundância de um sistema RAID 1 de duas unidades.

Por que usar o Thunderbolt para sistemas RAID?

O Thunderbolt 3 pode, com o cabo e as condições certas, fornecer velocidades de transferência de dados de até 40 Gbps. Com as velocidades máximas teóricas de gravação, isso significa 5 GB por segundo.

Em comparação, o USB 3.1 Gen 2 pode fazer no máximo 10Gbps ou 1,25GB por segundo. Isso é possível porque os cabos Thunderbolt usam circuitos ativos, enquanto os padrões USB são passivos.

O Thunderbolt 3 também é compatível com os padrões anteriores. O Thunderbolt 2 forneceu uma taxa de transferência de 20 Gbps, enquanto o padrão original habilitou 10 Gbps por canal (com a capacidade de usar dois canais). É por isso que o Thunderbolt é preferível até mesmo ao mais recente padrão USB 3.1 Gen 2.

A Apple substituiu o FireWire pelo Thunderbolt e defendeu a interface na última década. Isso culminou em um MacBook Pro que vem com apenas quatro portas Thunderbolt 3. O Thunderbolt foi co-projetado pela Intel e pela Apple, mas não são apenas os usuários da Apple que podem tirar proveito desse padrão.

Dispositivos com portas USB-C Thunderbolt 3 estão no mercado desde o final de 2015. Não são apenas os dispositivos da Apple que possuem essa entrada: Asus, HP, Dell, Alienware, Lenovo e MSI são apenas alguns dos fabricantes de PC que também abraçaram o formato.

Em maio de 2017, a Intel anunciou que o Thunderbolt 3 se tornaria livre de royalties para os fabricantes implementarem em seu hardware. Agora é mais fácil e barato do que nunca para os fabricantes de computadores e periféricos implementarem o Thunderbolt, e essa é uma ótima notícia para as velocidades de transferência.

Soluções RAID Thunderbolt

A implementação de matrizes RAID já foi algo que você precisava organizar dentro do gabinete do seu PC. Agora existem controladores RAID dedicados para esse fim com funções específicas. Apesar de poucas opções estarem disponíveis no mercado brasileiro, selecionamos duas ótimas opções que você pode comprar aqui no país. Você pode comprá-los nus, sem drives, ou recheados com terabytes de armazenamento.

Case OWC ThunderBay 4

raid thunderbolt OWC

 

Utilizando o Thunderbolt 2, esse case RAID oferece velocidades máximas de 859MB/s de leitura e de 838MB/s de gravação quando utilizado com o RAID 0. Apesar de não ser o padrão Thunderbolt mais novo, é muito mais rápido que o USB 3.1 e oferece uma ótima performance para trabalhos pesados, como edição de vídeo e áudio. Ele possui uma avançada tecnologia de refrigeração, que retira o calor de dentro da unidade utilizando um exaustor silencioso. Ele pode ser equipado com quatro discos rígidos, até no máximo 48 TB. Você pode encontrar esse case vazio, sem nenhum disco rígido, ou com HDDs totalizando até 25 TB já instalados. A primeira opção é mais barata. Infelizmente sua disponibilidade no país é instável, ele geralmente é vendido em poucas unidades que se esgotam rápido. A opção abaixo é a mais fácil de encontrar à venda.

 

LaCie 2big Thunderbolt

raid thunderbolt lacie

A LaCie é bem conhecida por fabricar vários hardwares com suporte para o padrão Thunderbolt, o que é raro considerando que ele ainda não é tão popular quanto o padrão USB. Esse case elegante suporta dois discos rígidos e é muito fácil de usar. Conta com duas portas Thunderolt e uma USB 3.0, com capacidade para até 6 TB. Ele possui suporte para ExFAT além do RAID e pode ser usado tanto em PCs quanto em Macs. Seu gerenciamento térmico é um dos melhores do mercado, com uma ventoinha puxando ar fresco enquanto outra joga o ar quente de dentro da unidade para fora, tudo isso fazendo pouquíssimo barulho. Apesar de não ser tão poderosa quanto a opção acima, esse é o RAID Thunderbolt mais fácil de comprar no Brasil.

Alternativas mais baratas ao RAID Thunderbolt

Gabinetes RAID oferecem alguns benefícios incríveis sobre os discos rígidos tradicionais. Independentemente de você querer segurança ou desempenho puro, não existem alternativas para o que os gabinetes RAID oferecem. Mas se você ainda não pode investir tanto em armazenamento, pode tentar alguns métodos para aumentar o desempenho.

A primeira coisa a fazer é checar se os preços das unidades vendidas sem HDDs cabem no orçamento. Muitos fabricantes criam arrays sem discos rígidos inclusos, que você pode preencher com suas próprias unidades. Isso permite que você equilibre o custo inicial de seu investimento em RAID, sem ter que sacrificar a velocidade ou a capacidade (a longo prazo). Apenas certifique-se de comprar um gabinete com compartimentos de unidade suficientes nele!

Em seguida, você pode tentar encontrar unidades usadas com Thunderbolt 1 a venda. Assim como nos dispositivos novos, é difícil encontrar RAIDs usados por ai, mas se você der sorte, pode economizar uma bom dinheiro. O Thunderbolt original pode não ser o ideal em situações que exijam desempenho extremo, como editar vídeos de alta qualidade, mas ainda é mais rápido que o padrão USB mais recente e funciona muito bem para quem precisa de mais segurança para backups do que desempenho em tempo real. Você também pode ser a pessoa mais sortuda do mundo e achar uma unidade com Thunderbolt 2 ou até mesmo 3 usada por um bom preço, mas na nossa experiência, as pessoas querem vender esses itens pelo mesmo preço pago aos vendedores quando novas.

Você pode simplesmente adicionar armazenamento local usando discos rígidos externos, substituindo sua unidade interna por uma maior ou usando um cartão de memória se for um proprietário do MacBook. Nenhuma dessas soluções corresponde a uma matriz RAID em relação a velocidade ou redundância, mas elas também custam muito menos e são ainda mais fáceis de usar.

Uma alternativa final com um desempenho que pode ser comparado ao RAID em certas condições é o armazenamento conectado à rede (NAS). As velocidades de rede são o gargalo óbvio aqui, especialmente para dispositivos sem fio, essa velocidade dita o desempenho real do NAS. Um NAS dedicado pode sair pela metade de uma unidade RAID, o NAS My Cloud EX2 Ultra da Western Digital é um exemplo de ótimo custo-benefício. Ou você pode converter um computador antigo e criar o seu próprio. Para streaming de mídia em uma rede ou backups periódicos, os drives NAS são ideais.